Tiro esportivo nas Olimpíadas Rio 2016


19 Fevereiro 2015 Tiro esportivo nas Olimpíadas Rio 2016

Nos Jogos Olímpicos do Rio em 2016, o Tiro Esportivo completará 120 anos de como esporte olímpico. O Tiro passou a ser uma modalidade olímpica em 1896 com 07 provas apenas no masculino, destas apenas 02 delas permaneceram até os anos atuais, Tiro rápido 25 metros e Pistola livre 50 metros.

Desde os jogos Olímpicos de Atlanta nos Estados Unidos em 1996, as provas do tiro esportivo são as mesmas. Além do Tiro rápido 25 metros e Pistola livre 50 metros, também são disputadas as provas de Pistola de ar 10 metros, Carabina de ar 10 metros, Carabina deitado 50 metros, Carabina três posições 50 metros, Fossa olímpica dublê, Skeet e Fossa olímpica no masculino e Pistola de ar 10 metros, Carabina de ar 10 metros, Pistola esportiva, Carabina três posições 50 metros, Skeet e Fossa olímpica.

O tiro esportivo distribui 45 medalhas nas Olimpíadas, as vagas obtidas são destinadas aos Comitês Olímpicos Nacionais de cada país, que decidirão quais atletas irão ocupá-las nos Jogos Rio 2016. O Brasil, como país-sede, tem nove vagas garantidas, cinco em provas masculinas e quatro em provas femininas.

Medalhas Brasileiras no tiro esportivo

O tenente do Exército Brasileiro Guilherme Paraense foi o primeiro esportista brasileiro a conquistar uma medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, no tiro, em 1920 na Antuérpia - Bélgica. O Brasileiro conquistou o ouro na prova de pistola rápida, no mesmo ano conquistou também o bronze por equipes na prova de pistola livre, junto com os atletas Sebastião Wolf, Dario Barbosa, Fernando Soledade e Afrânio da Costa.

Afrânio também conquistou a medalha de prata na competição de pistola livre individual. Desde então nenhum outro brasileiro conquistou medalhas em olimpíadas. O Tiro Esportivo só ficou fora de duas edições dos Jogos. Primeiro em 1904, em Saint Louis nos Estados Unidos, e em 1928, em Amsterdã na Holanda.